O que escrever no currículo: como descrever suas experiências profissionais de forma eficaz

O que escrever no currículo para que ele realmente chame a atenção?

Será que você deve contar toda a sua trajetória profissional detalhadamente?

Será que você precisa ter criatividade e aprender a escrever poemas para realmente ter um currículo bem escrito?

Ou…Será que você deve chutar o balde, escrever uma linha e falar “Quem quer, quer, quem não quer é só mandar a rejeição?

Acho que nenhuma dessas alternativas serve, né?

Mas, presta atenção aqui agora: se você quer passar de fase nos processos seletivos, conseguir entrevistas de emprego e ter sucesso na busca por um trabalho, você realmente precisa aprender como escrever um bom currículo.

Aliás, se você estava menosprezando esse aspecto, saiba que existem técnicas de escrita que podem afetar completamente a forma como você é visto ou vista profissionalmente.

Então, saiba que usar as palavras certas, do jeito certo podem levar você longe muito mais longe na sua carreira – e aqui não falo somente das palavras no seu currículo. Mas, querendo ou não, é nesse documento que sua trajetória profissional começa e é por isso que hoje eu vou te contar como escrever um currículo de forma eficaz e simples, que chame a atenção dos recrutadores.

Técnica 1: um currículo precisa ser bem escrito baseado na OPORTUNIDADE, não no que você quer contar

A primeira coisa que precisamos ter bem clara aqui: o que realmente faz uma descrição das suas experiências profissionais ser boa? 

É importante você pensar nesse ponto primeiro porque é aqui que a gente comete alguns deslizes, ou preenche tudo no automático e esquece do que é importante escrever no currículo.

Em vez de você tentar descrever absolutamente tudo o que você fez na empresa anterior – ou de achar que é só revisar para evitar erros de ortografia – você tem que verificar o que é interessante naquela experiência, para a vaga ou área que você vai se candidatar.

É por isso que eu já falei num vídeo lá do canal chamado “Como não se perder ao buscar emprego” que você precisa tirar um tempo pra ler a vaga e analisar o que a empresa quer.

Faça isso com as seguintes questões em mente:

Que tipo de profissional ela tá buscando? 

Com quantos anos de experiência? E experiência em que? 

Que habilidades ela exige? 

O que eu preciso saber para ser compatível com o que estão pedindo?

…E, finalmente, como eu consigo encaixar tudo isso com o que eu tenho conhecimento e que eu já fiz na minha carreira? 

E a forma de você juntar o que você tem pra oferecer, com o que a vaga pede é usando palavras-chave no seu currículo

Eu já falei sobre isso aqui no blog e lá no canal, inclusive mostrando onde eu pego esses termos pra colocar no meu currículo.

Basicamente o que você precisa fazer é destacar os pontos mais importantes na descrição/ anúncio da vaga.

Vou dar um exemplo de uma vaga de Marketing de conteúdo: se lá no anúncio eles falam que querem alguém que faça “criação e gestão de conteúdo”, essa é uma das palavras-chave que você vai tentar trazer para sua descrição das experiências profissionais.

Se a vaga menciona que você precisa saber “elaborar um plano ou estratégia de conteúdo”, isso também precisa ser incluído de alguma forma na sua experiência.

Inclusive não só na descrição de últimos empregos, isso pode estar no seu resumo profissional também ou até nos títulos dos seus últimos cargos, se fizer sentido.

Se você não tem um resumo profissional no seu modelo de currículo e quer ter um para poder adicionar essas palavras-chave, dê uma olhada depois no artigo que eu vou linkar aqui embaixo.

Lá tem um tutorial sobre como fazer um currículo e tem também um vídeo no qual eu monto um currículo passo a passo, e você poderá pegar o elemento do resumo e adaptar para seu currículo.

> Leia agora o artigo: Como fazer um currículo

> Assista ao vídeo: Como criar um currículo online grátis do zero

Técnica 2: como descrever suas experiências profissionais usando voz ativa

Agora, tem um truque de escrita simples que afeta completamente o seu currículo e é capaz de mudar a sua narrativa profissional da água para o vinho.

Tem um vício de linguagem enorme que a gente adquire que é o de colocar sempre “Responsável por fazer isso, e isso, e isso…” 

Então, aqui é legal a gente mudar nosso posicionamento para uma posição de profissional que atua, que traz resultados, que realmente gera valor para as empresas.

E a forma de fazer isso é trocando essas palavras pela voz ativa, ou seja, por termos mais fortes.

Logo, quando você for contar o que fez na empresa anterior, em vez de escrever: “Responsável por fazer bla bla bla”, você troca isso por:

“Eu organizei, coordenei, executei, ou liderei iniciativas de tal e tal coisa, para melhorar, aprimorar ou implementar tal coisa.” 

Lembrando: construa tudo isso sempre incluindo as palavras-chave mais importantes da sua área ou que estão na descrição da vaga que você vai se candidatar.

O interessante de fazer essa mudança no seu currículo é que assim você também começa a ter uma mentalidade diferente sobre a forma como você trabalha.

Afinal, você precisa focar na importância do papel que você tem naquele time ou naquela empresa para ajudá-la a crescer.

O quanto devo escrever no currículo?

Você já sabe que precisa equivaler suas experiências com o que é pedido nos anúncios de empregos. Que você tem que usar palavras-chave, voz ativa e termos fortes para descrever quem você é e o que você fez nos últimos trabalhos…

…Mas, uma dúvida que pode surgir aí é: o quanto você deve escrever, né? Uma linha, duas linhas, uma folha?!

Tudo depende da vaga. E só o fato de você ter focado seu currículo naquela oportunidade e de ter usado a voz ativa já ajuda a ter uma escrita mais fluída e com um bom tamanho. 

Mas caso você esteja com problemas para definir quanto ou até quanto você pode escrever no seu currículo, pensa na estrutura que você quer ter neste documento.

Se você já acompanha meu canal há um tempo ou já viu o tutorial sobre como fazer um currículo aqui no blog, você sabe que eu gosto de descrever minhas experiências e realizações profissionais em tópicos.

E por mais que eu tenha feito várias outras atividades nos outros trabalhos, eu me limito a deixar somente de uns 3 a 4 pontos principais em cada experiência e que contam pra próxima vaga que eu vou me candidatar.

Isso ajuda você a trabalhar a sua capacidade de sintetizar uma grande quantidade de informações e focar no que é importante, e ainda deixa seu currículo com um padrão visual mais consistente e fácil de ler.

O que escrever no currículo quando você tem experiências de trabalho muito parecidas entre si

É claro, né, uma coisa importante: aplicar tudo o que falei acima depende também de quantos empregos você já teve, e se todos eles foram na mesma área ou não. 

Um exemplo: se você teve seus últimos trabalhos praticamente na mesma indústria e no mesmo tipo de cargo, você corre o risco de se repetir toda vez que for descrever cada um deles.

Imagina que o recrutador não precisa ler cinco vezes: “Analista de vendas controle de estoque, ou atendimento ao cliente.”

Então, presta atenção aí se em vez de repetir as atividades, se você não consegue colocar os resultados ou maiores conquistas particulares para cada emprego que você teve.

Por exemplo: nessa empresa eu consegui aumentar as vendas em X%, ou então, nessa empresa eu criei um processo que aumentou a satisfação dos clientes.

Isso vai ser mais interessante ainda de ler, vai deixar seu currículo menos repetitivo, e ainda vai demonstrar que você é um profissional que causa impactos positivos por onde passa – ainda que tenha tido experiências muito parecidas.

E se o que eu escrever no currículo não for suficiente para conquistar o recrutador?

Eu sei que com tudo isso que foi falado, a sensação pode ser que o que você tá falando não é o suficiente, nosso instinto para tentar atrair o recrutador é de sempre tentar passar o máximo de informação possível: “Olha como sou bom, olha só TUDO o que eu sei!”

Mas, lembra do seguinte: seu currículo provavelmente vai passar por um sistema automático de seleção primeiro e depois vai ser lido por poucos minutos ou até por segundos pelo recrutador.

O seu maior objetivo com esse documento é demonstrar se você daria conta ou não daquele cargo específico. A empresa quer saber se você pode realmente ajudá-la.

Então, caso você mostre isso pro recrutador de forma fácil, ele vai te chamar para entrevista e aí sim, ao longo do processo, você vai poder demonstrar ainda mais a sua motivação e a sua capacidade profissionais.

Logo, não se preocupa em passar absolutamente tudo o que você fez no currículo com medo de não ser o suficiente.

Até porque, é claro que você e nenhum profissional sempre vai preencher 100% dos requisitos – o RH já sabe disso, o mercado de trabalho é assim.

O que vai ser analisado é o conjunto da obra, porque basicamente ninguém te conhece. Você será avaliado ou avaliada primeiro com base em um arquivo. 

E esse arquivo sim precisa pelo menos deixar claro para a empresa que você tem – ou pode ter – capacidade de suprir aquela demanda que ela tem no momento.

E por hoje é isso. Não esquece de compartilhar este artigo com seus amigos e amigas para ajudá-los a escrever um bom currículo também.

Eu ainda tenho duas sugestões/ lições de casa para você que está procurando emprego:

Se você ainda nem tem um modelo de currículo, você pode já ir pra esse vídeo aqui, onde eu monto um currículo online simples passo a passo com você.

Ou caso você já tenha seu currículo mas ainda esteja em dúvida sobre como focá-lo melhor para a vaga que vai se candidatar, corre neste vídeo aqui, pra saber como revisar e atualizar seu currículo de acordo com cada oportunidade e deixar ele bem atrativo.

E até a próxima!