Erros no LinkedIn? PARE de fazer estas 3 coisas agora!

3 coisas que você deve parar de fazer AGORA no Linkedin. Porque elas são erros? Não necessariamente, mas porque não precisa e porque tem coisa melhor que você pode fazer no lugar delas, principalmente se você quer conseguir um emprego por meio dessa rede! 

Vem ler este artigo até o fim para descobrir se você não tá perdendo o seu tempo com iniciativas desnecessárias e se prepara aí pra saber como usar o LinkedIn de uma forma melhor daqui pra frente.

1. Pare de anexar seu currículo no LinkedIn

Primeira coisa: para de anexar seu currículo tanto no seu perfil do Linkedin quanto nas postagens que você faz.

Sério: se você anexou seu arquivo de currículo completo deixando ele público no seu perfil no LinkedIn ou escreveu um post anexando o seu currículo nele avisando que você está procurando emprego…Pode excluir ele de lá agora! 

E existe MAIS de um motivo pra você não precisar ter esse documento ali. Primeiro, porque você tem que considerar a questão da segurança dos seus dados.

Apesar de ter informações consideradas como inofensivas para compartilhar, o currículo é uma coisa mais pessoal e “privada” sobre a sua trajetória profissional.

Eu já vi muita gente compartilhar que está procurando emprego e anexar o currículo com TUDO ali: RG, número de telefone celular, endereço completo, estado civil, idade, e-mail (isso quando não tem ainda mais coisas pessoais que nem precisavam estar ali).

E, veja bem: LinkedIn é uma rede disponível para quase todo mundo que tem internet, e na internet não tem só recrutador e só profissional. 

Portanto, divulgar suas informações tão pessoais de forma tão “fácil” pode servir como banquete para internautas mal intencionados ou criminosos que aplicam golpes por telefone ou até mesmo usam seus dados para tentar acessar sua conta bancária.

E o segundo motivo para você parar de fazer isso hoje: porque não funciona! 

Colocar seu currículo dessa forma no seu perfil, sem ele estar direcionado e personalizado pra vaga que você quer se candidatar, é uma perda de tempo.

Os recrutadores das empresas interessados em contratar não vão sair fazendo download de currículo de todo mundo para ler, eles já têm uma penca de currículos para revisar das próprias vagas que divulgam.

Em raras situações, eles podem até ver o seu perfil, achar interessante e aí caso eles tenham interesse em você pra alguma oportunidade que tem em aberto na empresa, eles vão te enviar mensagem e vão pedir seu currículo ou te convidar para uma primeira entrevista.

Então não se preocupa em divulgar seu currículo dessa forma no LinkedIn.

Mas, Adeline, o que fazer no lugar disso, então?

É redundante demais você anexar seu currículo porque no LinkedIn cada informação profissional sua já tem seu lugar específico quando você cria um perfil por lá.

Ali você encontra todos os recursos e as sessões necessárias para você preencher com sua trajetória e você pode colocar até mais coisas do que o que tem no seu próprio currículo!

E o melhor: isso tudo fica categorizado da forma correta e ajuda os recrutadores a te encontrarem na busca quando eles pesquisam por determinadas palavras-chave, competências ou até pelos idiomas que você fala!

Enquanto que se você anexa uma imagem ou um PDF ali, isso não ajuda seu perfil a rankear melhor nas buscas, entende?!

Logo, o seu tempo vai ser muito mais bem gasto se você trouxer o máximo de informações profissionais relevantes pro seu perfil no LinkedIn, preenchendo cada sessão adequadamente.

E aí vai um lembrete importante: não coloque dados pessoais nem no seu perfil: endereço, telefone celular, RG, CPF, etc. Aliás endereço completo é algo que você não DEVE deixar nem mesmo no seu currículo – no máximo o bairro ou região onde você mora.

Isso vai tornar sua experiência online mais segura e vai deixar claro para o recrutador de onde você vem, caso isso sequer venha a ser uma informação importante pras empresas – o que eu acho que salvo alguns casos, não deveria, né.

2. Quantidade não é qualidade: pare de adicionar contatos aleatórios no LinkedIn!

A segunda coisa que você não precisa fazer no LinkedIn é sair adicionando todo mundo pra ter 500 mil conexões.

Eu já falei sobre isso aqui e lá nos vídeos do canal: LinkedIn não é Facebook. O número de contatos não é o que importa pra você ter um bom perfil profissional. E sim a QUALIDADE desses contatos que você tem.

Então, não é para se cadastrar na rede e adicionar todos os seus amigos e pessoas aleatórias só porque elas aceitam.

Eu vejo gente fazendo isso toda hora e isso só te afasta ainda mais de ter uma rede de networking boa pra sua profissão.

Além disso, imagine só, eu acabei de falar para você não anexar seu currículo por questões de segurança, e aí você vai lá e ainda por cima adiciona QUALQUER pessoa na sua rede? Ah, não, né?!

O que fazer no lugar de adicionar mil contatos no Linkedin

Em vez de fazer isso, procure se conectar com pessoas que estudaram ou trabalharam com você, ou que pelo menos tenham alguma coisa a ver com a sua área.

Claro que você pode adicionar pessoas que você não conhece, desde que exista algum vínculo profissional interessante que possa ser criado. Por exemplo, essa pessoa pode ser da área que você tem interesse em trabalhar.

Pode também adicionar pessoas ou recrutadores que trabalham em empresas que você tem interesse em se candidatar, porque aí você fica por dentro das oportunidades ali.

E aí você pode me dizer: Ah, Adeline, mas e se for alguém que eu gosto e que posta coisas legais no Linkedin?

Tem uma solução super simples pra isso. E não funciona só com gente super famosa: você não precisa adicionar a pessoa caso ela não seja tão relevante para sua área e profissão. Você pode apenas seguir ela e assim os conteúdos que ela posta vão aparecer para você!

Quando você entrar no perfil de alguém, em vez de clicar em Conectar , vai no menu Mais e ali você encontra a opção para seguir aquele perfil.

Inclusive, se você algum dia me achou por lá, você pode fazer isso também, me seguir em vez de adicionar. 😉 

Dessa forma você não vai ter colocado ninguém “estranho” na sua rede de networking e vai poder continuar consumindo os conteúdos e ver as atualizações de quem você quiser na sua timeline.

3. Não faça posts pedindo emprego no LinkedIn

Ai, essa chega a doer! Presta atenção aqui: para de marcar empresas em posts dizendo que você tá procurando emprego! Pare AGORA!

Essa é uma tendência que muita gente tem seguido porque dá bastante curtida na rede social, já que muitos recompartilham e tudo o mais.

Você já fez isso ou já viu o post de alguém fazer: eu tô falando daqueles posts em que a pessoa anuncia que ta procurando emprego e abaixo marca uma lista enorme de empresas.

E, assim, pode até ser que ajude, mas na maioria das vezes sabe o que que você ganha fazendo isso?

Praticamente nada.

Embora esse post seja muito popular, ele vai muito naquela onda das recompensas instantâneas que enganam a gente. É outra perda de tempo.

No máximo o que vai acontecer é as empresas que você marca te responderem com uma mensagem pronta falando o que??? Para você entrar no site delas e se candidatar às vagas que tem em aberto!

As companhias não vão te ligar, nem abrir vagas do nada e nem te contratar só porque você digitou um “@”  e chamou a atenção dela ali.

Então, legal que você recebeu alguma resposta, mas isso não te garantiu nenhuma entrevista, não te garantiu uma conversa com recrutador, muito menos uma oferta daquela empresa. Ela no máximo vai te passar o link da página “Trabalhe conosco” dela, poxa!

O que fazer em vez de marcar empresas no LinkedIn, então?

Calma! Eu não estou dizendo que você não deve tentar acionar sua rede de networking falando que tá em busca de oportunidades, até porque eu mesma já dei esse conselho em um conteúdo sobre como conseguir emprego rápido.

Mas, existem formas melhores e mais personalizadas de você fazer isso pra colher algo um pouco melhor do que uma resposta “semi automática”. 

Você pode, por exemplo, já ir no site dessas próprias empresas que você quer marcar no seu post, ver quais vagas elas têm em aberto, SE CANDIDATAR pras oportunidades de forma personalizada e focada, e aí sim, você pode depois tentar encontrar os recrutadores dessas companhias e enviar uma mensagem pra eles falando que você aplicou para vaga X e que você gostaria muito de bater um papo com eles sobre como você pode ajudar a empresa com as suas experiências e tudo o mais. 

Inclusive, eu já dei esse exemplo num outro conteúdo sobre como enviar currículo por email, com um modelo de mensagem matador para você convencer recrutadores a te chamar para entrevistas! Você já viu? Vou deixar o link aqui embaixo:

Eu te garanto que essa é uma forma muito melhor de usar o seu tempo, porque mesmo quando as empresas te respondem, quem está comentando lá não é recrutador, e sim alguém responsável por administrar as redes sociais delas. Essa pessoa nem vai analisar seu perfil, sabe?

Então, da mesma forma que não é necessário anexar currículo por ali, o LinkedIn já tem uma opção que avisa pra sua rede que você está procurando emprego.

Ou seja: você nem precisa fazer um anúncio de fato se não quiser.

Mas, olha, se ainda assim você quiser fazer uma postagem pra dar mais visibilidade pro seu perfil, o que EU sugiro – e que talvez seja mais interessante – é você falar com colegas, e ex-colegas de trabalho.

Você vai chegar nessas pessoas dizendo exatamente em que área você tá buscando trabalho e pedir pra essas pessoas te avisarem caso elas vejam algo em aberto na empresa delas.

E enquanto você faz isso, não se esqueça de ter um currículo e um perfil bem personalizados para essa área também!

Se você quer saber mais sobre como otimizar o seu perfil no Linkedin para aumentar suas chances de conseguir entrevistas de emprego, já tem um post e vídeo aqui no blog com dicas essenciais pra você ter um LinkedIn atrativo.

Lembra que quanto mais focado você for na sua área, na empresa que você quer trabalhar e nas vagas que já estão em aberto, maior vai ser o seu retorno sobre o tempo que você investiu buscando emprego!

Vamos combinar, né? Nessas horas saber usar bem o nosso tempo é essencial. Até porque, não é porque você tá sem emprego que você tá desocupado, não é mesmo?

Você já fez uma ou mais dessas coisas que eu citei aqui hoje?

Procurar emprego é algo bem estressante e a gente sente que precisa tentar absolutamente de tudo pra conseguir uma oportunidade o mais rápido possível.

Mas, como eu contei aqui, nem sempre fazer muitas coisas ao mesmo tempo dá certo. E nem tudo dá certo pra todo tipo de profissional.

Num vídeo lá no canal no YouTube eu já falei exatamente sobre isso e dei dicas para que você saiba onde realmente colocar os seus esforços na busca por emprego e pra você não se sentir sobrecarregado ou sobrecarregada. Depois vai lá assistir!

Agora, me conta aqui nos comentários se você faz ou já fez uma dessas três coisas ou o que você faz em vez delas pra ser mais efetivo na hora de buscar trabalho, combinado?

Até a próxima!

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.